Aug
31
2010
-

Atentos às novidades tecnológicas, lojistas vão discutir pagamentos via celular e biometria

Biometria pela íris

Biometria pela íris

Empresários do setor de varejo têm buscado maneiras de fazer com que seus clientes passem mais tempo escolhendo o que comprar do que parados em filas, em frente a terminais eletrônicos de pagamentos.
A ideia é trazer para o Brasil tecnologias que começam a ser adotadas de forma experimental em países da Ásia e nos Estados Unidos, onde já é possível utilizar o celular e os olhos, por meio da identificação biométrica, como forma de pagamentos em compras.
O assunto vai ser discutido no Congresso de Cartões de Crédito ao Consumidor, que ocorre entre 31 de agosto e 3 de setembro, em São Paulo. Além de lojistas, participam do encontro representantes das empresas de meios de pagamento eletrônico Percival Jatobá (Visa), Alexandre Magnani (MasterCard) e Eduardo Chedid (Cielo), além do presidente da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas, Roque Pellizzaro Júnior.

Autor: Deco Bancillon, de Brasília
Fonte: Colunista IG

Written by AcessoP in: Tecnologia |
Aug
31
2010
-

Dígitro Desenvolve Biometria de Voz para Aplicações de Inteligência e Negócios

Tecnologia de Reconhecimento de Voz

Tecnologia de Reconhecimento de Voz

A Dígitro Tecnologia, tradicional desenvolvedora brasileira de soluções de Inteligência, TI e Telecomunicações, desenvolveu um sofisticado sistema de biometria de voz, utilizado para a identificação precisa de indivíduos a partir de suas características vocais e hábitos de locução.
Empregado originalmente em plataformas de inteligência da Dígitro – entre elas a solução Guardião, que equipa sistemas de inteligência e investigação policial em todo o território Brasileiro – a biometria vocal poderá ser empregada também em aplicações de reconhecimento e controle de acesso a dados e serviços das soluções de redes e TI desenvolvidas pela empresa.
Para o desenvolvimento da tecnologia biométrica, a Dígitro teve como ponto de partida um longo histórico de pesquisas que a empresa vem empreendendo. Desde 1996, a empresa financia pesquisas da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em sistemas de reconhecimento de fala que são aplicados para o acionamento de comandos a partir de ordens vocais.
“A inclusão do traço biométrico neste tipo de aplicação representa uma evolução que une a praticidade à alta segurança, o que habilita a homologação das nossas soluções de voz para a utilização em sistemas altamente críticos, como operações financeiras por voz ou o acesso a dados confidenciais nas empresas”, assinala Geraldo Faraco, Presidente da Dígitro.
Diferente de outros sistemas de prova biométrica, como a leitura de íris, da impressão digital ou do mapeamento das veias da mão, que vêm sendo largamente utilizados, a biometria de voz tem a vantagem de dispensar a presença física do indivíduo no local, podendo ser colhida à distância, através de ligação telefônica. Com isto, o método de identificação é ideal para aplicações em sistemas que utilizam o comando de operações via URA (unidades de resposta audível) ou em soluções de investigação, como é o caso dos sistemas que a Dígitro tradicionalmente fornece para os órgãos de segurança pública.
Só nos últimos três anos, a Dígitro investiu cerca de R$ 2,2 milhões em seus laboratórios de fonética aplicada e em tecnologias como conversão de texto em fala e vice-versa. A empresa é também uma das poucas do País a dominar tecnologias de análise com base em inteligência artificial para aplicações como CRM analítico, análise georreferenciada e algoritmos de correlação de informações de negócios.

Sobre a Dígitro
A Dígitro é uma empresa genuinamente brasileira com mais de 30 anos de mercado no setor de telecomunicações. Pioneira no desenvolvimento de soluções para este fim, destacou-se como empresa inovadora, com a criação do sistema Teledespertador e a plataforma de Comunicação CT (Computer & Telephony), que integra telefone e computador em uma só máquina. Seu amplo portfólio de soluções agrega, ainda, serviços de Infraestrutura de TI e aplicações de inteligência corporativa e investigativa, complementando sua base de clientes atuantes nos mais diversos nichos de negócio, que vão desde empresas privadas e operadoras de telefonia, até instituições e órgãos governamentais, incluindo agências de Segurança Pública às quais a Dígitro fornece o Sistema Guardião, peça chave de maior utilização no combate ao crime organizado no Brasil e também já sendo fornecido a outros países. A Dígitro investe em inovação, desenvolvendo tecnologia em parceria com centros de pesquisa como a UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina. Presente em todo o Brasil e em 11 países da América Latina e África, a Dígitro tem qualidade reconhecida pelas certificações ISO 9001 e a TL 9000, norma específica para o mercado de telecomunicações. Além disso, tem sede própria, em planta de edifícios que incorporam os mais modernos conceitos de sustentabilidade, e é patrocinadora única do Educando com Música, projeto social que leva à comunidade rural da Grande Florianópolis uma educação musical de qualidade. Saiba mais sobre a sede da Dígitro em www.digitro.com/sustentabilidade.

Dígitro Tecnologia Ltda.

R. Profª Sofia Quint de Souza, 167 – Florianópolis – SC – 88085-040
Tel.: (48) 3281-7051 – Fax.: (48) 3281-7299
www.digitro.com

Fonte: SEGS

Aug
27
2010
-

Confira dicas para escolher o smartphone ideal

Smartphones

Smartphones

Conceitualmente, smartphones são aparelhos que agregam diversas funcionalidades, como acesso rápido a internet, instalação de aplicativos, câmera digital e diversos meios de conectividade, bluetooth, wireless, infravermelho, USB e afins. O hardware também é um diferencial, pois os aparelhos precisam suportar diversos aplicativos instalados e suas funcionalidades. Não é tão errado afirmar que um smartphone é um computador de mão, pois tem a potência de hardware equivalente de computadores de 7 ou 8 anos atrás, ou seja, bastante capacidade de processamento e de memória.

Tela
A tela é definitivamente uma variável muito importante na hora de escolher seu aparelho por alguns motivos. O primeiro deles é a sensibilidade ao toque, que possibilita uma maior interação do usuário com o aparelho, deixando as tarefas mais rápidas. As telas sensíveis geralmente ocupam todo o aparelho e, por consequência, estes têm tela maior com ótima resolução e ideal para visualizar documentos, planilhas e assistir vídeos.
Neste quesito, destacam os aparelhos iPhone da Apple e os aparelhos da HTC (Nexus One ou mais novos) rodando Android do Google. Já lidei com diversos aparelhos com telas sensíveis ao toque, mas esses se destacam.
Se você tem dedos “largos”, com dificuldade de lidar com botões pequenos, é preferível ter um telefone com tela sensível ao toque. Em contrapartida, falta a sensação de “apertar botão”.

Teclado
Caso o aparelho não tenha tela sensível, o teclado é um fator importante a ser considerado. Existem modelos de smartphones que tem teclados alfanuméricos no formato QWERTY, ou seja, com as teclas na mesma posição que em um computador de mesa ou notebook, o que agiliza a digitação. Porém, se você tem dedos mais grossos ou a mão “gordinha”, a digitação é um pouco difícil em alguns aparelhos.
Pensando nisso, alguns modelos, como o Motorola Dext, vêm com um teclado maior embutido. Nesses aparelhos, o tamanho das teclas é maior, melhorando a experiência ao digitar. Além disso, ele também tem tela sensível ao toque, dispondo o melhor dos dois mundos ao usuário.
Dica: teste sempre o teclado do aparelho, veja se a digitação é confortável. Esse fator deve ser levado em conta na compra do aparelho se você pretende realmente usar todas as funcionalidades do aparelho, principalmente mandar e-mails ou mesmo redigir textos curtos.

Smartphones versões tela e teclado

Smartphones versões tela e teclado

Duração da bateria
É importante se atentar a essa variável, que é determinante no uso do aparelho. Claro que o consumo de bateria depende da intensidade de uso, entretanto existem alguns pontos a serem observados. Se o aparelho carrega a bateria usando a porta USB, algo importante se você não costuma andar com o cabo de força do aparelho é se essa porta UBS é proprietária ou padrão (mini-USB), facilitando o carregamento.
Nesses casos, recomendo sempre conferir no manual do aparelho a duração da bateria de acordo com as condições de uso (uso de rede 3G aumenta o consumo, uso de Bluetooth também e assim por diante). Também recomendo conversar com proprietários de aparelhos para se informar sobre a duração das baterias. Fóruns de discussão também são uma fonte riquíssima de informações e devem ser levados em conta.
Outra variável importante é saber se o aparelho consegue carregar a bateria pela porta USB (aparelhos que usam o mesmo conector para USB e carregador têm essa funcionalidade). Parece um detalhe bobo, mas quando se está sem o cabo de força e a bateria está no fim, o cabo USB ligado ao PC “salva sua vida”.

Memória
Um dos usos desses aparelhos é lidar com documentos, e-mails e arquivos multimídia (som, vídeo e fotos), e para ter tudo isso no aparelho é preciso saber duas coisas: Quanto de memória ele tem e se você pode expandir esse valor. Geralmente, os aparelhos vêm com uma memória interna baixa, na casa dos MB e com cartão de memória removível com capacidade na casa dos GB. Outros aparelhos vêm com memória interna na casa dos GB, porém sem expansão, como é o caso do iPhone.
Se você quer transformar seu celular em uma “estação multimídia”, com filmes e músicas, a capacidade de armazenamento é vital. Se você quer um smartphone para e-mails e documentos de trabalho, eventualmente alguma foto ou vídeo, a capacidade do aparelho não é um fator tão importante na hora de compra, visto que a grande maioria dos modelos vem com memória (interna ou por cartão na casa dos GB).

Sistema operacional
A disputa aqui também é grande e deve ser pesada pelo usuário na hora de escolher seu aparelho. Hoje, o mundo dos celulares não compartilha do mesmo monopólio dos computadores (de mesa ou portáteis), com domínio da Microsoft.
Algumas marcas como Apple, Nokia e BlackBerry têm seus próprios sistemas operacionais, sendo que os dois primeiros têm um número maior de aplicativos disponíveis na internet para instalação nos aparelhos. No universo Apple, muitos aplicativos são pagos e estão bem organizados na Apple Store. Os aplicativos para Symbian podem ser encontrados em diversos sites especializados, alguns são pagos mas existe um bom número de gratuitos.
Alguns marcas adotam sistemas operacionais de terceiros, como o Windows Mobile, que logo será substituído pelo Windows Phone, e também o Android, do Google. O Windows Mobile traz o inconfundível botão do iniciar do Windows e pode ser uma opção interessante para quem gostaria de ter no telefone uma experiência parecida com a que tem no computador de mesa.
O Android é o caçula desses sistemas, mas não deixa nada a desejar, principalmente no repositório de aplicativos. Infelizmente, ainda não é um aparelho muito usado em terras brasileiras – parte pelo custo dos aparelhos e parte por não existirem por aqui muitos modelos que o utilizem.

Comunidade
Pode parecer estranho pensar em comunidade na hora de escolher seu próximo celular, mas é uma variável que considero importante. A existência de pessoas dedicadas a estudar e sugerir melhorias nos aparelhos, desenvolver aplicativos e dar dicas de uso pode ajudar muitos usuários a usar de forma mais eficiente e eficaz seus aparelhos. Pesquisar na rede por fóruns e comunidades dedicadas ao aparelho (ou a marca) e participar delas leva ao usuário uma vasta gama de informações.
Câmera
Praticamente todos os aparelhos têm câmera, o que o usuário precisa se preocupar é com a resolução dessas câmeras caso vá usar o aparelho para fotografar. Eu considero como diferencial o aparelho ter uma câmera frontal que possibilite videochamada, algo que ainda não é popular no Brasil, mesmo porque as operadoras não permitem esse tipo de chamada entre elas (é possível fazer essa ligação entre aparelhos de uma mesma operadora, com uma tarifa diferenciada).

Por Fernando Panissi
Fonte: G1

Aug
27
2010
-

Celular Porsche Design

Celular Porsche Design

Celular Porsche Design

Você é ligado em design e marcas badaladas?
Então dê uma olhada no celular P’9522 Black Edition da Porsche Design.
Só a descrição já assusta…Em linhas retas, forma purista enfatizada através de uma combinação de alumínio anodizado preto mate com vidro mineral preto. A capa é moldada a partir de um bloco de alumínio sólido, uau!
Na parte tecnológica, obviamente um celular que custa 4.250 reais vem com o que há de bom.
Um diferencial que me chamou atenção é um sensor que permite que as impressões digitais sejam lidas, garantindo um segurança biométrica na utilização do aparelho.
Chega com exclusividade no dia 15 de agosto na inauguração da loja da marca no Shopping Iguatemi em São Paulo.
Luxo para poucos, realmente.

por Osmar Lazarini
Fonte: Portal Exame

Aug
27
2010
-

Empresas ganham mais prazo para adaptação a portaria do ponto eletrônico

Relógio Cartográfico

Relógio Cartográfico

As empresas e os fabricantes de relógio ponto ganharam um fôlego a mais para adaptação a nova portaria que regulamenta o relógio de ponto eletrônico no país. Segundo informações do Ministério do Trabalho, uma portaria a ser publicada nesta quinta-feira no Diário Oficial da União amplia para o dia 1º de março de 2011 o prazo para as empresas se adaptarem.
A exigência está presente na Portaria 1.510/09. A data inicial de vigência estava prevista para o dia 26 de agosto, mas um estudo da Secretaria de Inspeção do Trabalho (SIT) mostrou que poderia haver falta de equipamentos necessários para atender à nova regulamentação.
O diretor da Diponto, fabricante de relógio ponto, Adrinei Kaiser, diz que a mudança dá mais tranquilidade para atender a grande demanda, mas ressalta que as empresas precisam ficar atentas já que nem todos são obrigados a adotar o equipamento eletrônico.
- As empresas acima de 10 funcionários são obrigadas a ter um controle de ponto, podendo ser o registro manual, mecânico, cartográfico ou eletrônico. A portaria 1510 refere-se somente ao ponto eletrônico – explica Kaiser.
A nova portaria, que será publicada nesta quinta-feira (19), modifica apenas a data de entrada em vigência. O novo equipamento de ponto eletrônico terá que imprimir um comprovante ao trabalhador toda vez que houver registro de entrada e saída. A Diponto já vem trabalhando com as duas possibilidades de equipamentos: o mecânico e o eletrônico. O equipamento mecânico, o Dataprint, utiliza um cartão para o mês inteiro e pelo seu baixo custo é mais indicado para as pequenas empresas.
A Diponto triplicou as vendas na comparação com o mesmo período do ano passado devido a necessidade de adaptação das empresas a nova portaria. Já foi criada, inclusive, uma lista de espera, para quem procurar pelo relógio eletrônico com a impressão do ticket.

Redação: Marcelo Matusiak
Fonte: Ambiente Gelado

Aug
26
2010
-

Em testes, urnas biométricas aumentam tempo de votação para cinco minutos

Urna Biométrica

Urna Biométrica

Os Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) se depararam com problemas nas urnas biométricas em pelo menos sete estados do país durante a simulação das eleições realizada no fim de semana na maior parte do território nacional. A dificuldade, verificada na identificação da impressão digital de eleitores, aumentou a média de tempo de votação para cinco minutos.
Em Balsa Nova, no Paraná, só um dos 14 eleitores que participaram do teste teve a digital identificada na primeira tentativa. Seis pessoas conseguiram votar depois de algumas investidas com o leitor biométrico e outras sete não foram reconhecidas pelo sistema. Em outros estados, existem relatos de que a dificuldade se deu por inexperiência dos mesários, que não posicionaram corretamente o dedo do eleitor.
De acordo com o secretário de Tecnologia da Informação do TSE, Giuseppe Janino, o “não conhecimento” dos eleitores atingiu o índice de 40% em todo o país. “Investigamos a causa e descobrimos que o leitor comparava a impressão digital com o dedo errado. O problema ocorreu na geração dos arquivos, mas já foi resolvido”, explicou. Segundo ele, não haverá risco de falhas no dia das eleições. “O simulado serve para isso, para corrigirmos as não conformidades.”
Em 2008, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) utilizou pela primeira vez a urna biométrica, equipamento que processa o voto a partir da identificação da impressão digital do eleitor. A inovação foi experimentada com sucesso em três cidades: Colorado do Oeste (RO), Fátima do Sul (MS) e São João Batista (SC). Agora, em 2010, serão 65 municípios, de 24 estados, com votação totalmente biométrica. Para isso, mais de um milhão de eleitores foram previamente cadastrados pela Justiça Eleitoral, que colheu as digitais de quatro dedos de cada eleitor (os polegares e os indicadores). A ideia do TSE é que até 2018 o Brasil tenha a eleição 100% biométrica.
A inovação tenta dificultar fraudes, já que para votar o eleitor terá de fazer o reconhecimento digital. Com o novo sistema, as eleições devem ganhar mais agilidade. O sistema também diminui o número de mesários nas votações. Caso o mesário tenha dúvidas com relação ao eleitor ou a digital não seja reconhecida pelo leitor biométrico, há a opção de se fazer a verificação a partir da foto impressa na folha de votação. A votação biométrica, no entanto, não elimina a necessidade de o eleitor portar um documento de identidade e o título de eleitoral no dia do pleito.

Fonte: Correio Braziliense
Por: Diego Abreu

Aug
25
2010
-

Tribunais regionais testam sistema eleitoral neste sábado

Simulação de Votação

Simulação de Votação

Tribunais regionais eleitorais (TREs) de 25 estados e do Distrito Federal realizam neste sábado (21) uma eleição simulada com o objetivo de testar os sistemas e programas que serão utilizados nas eleições de outubro. As simulações foram determinadas pelo próprio TSE, a fim de corrigir eventuais equívocos que possam haver no sistema antes da realização do pleito.
O processo será realizado em todos os cartórios e zonas eleitorais dos estados participantes. O Rio Grande do Norte é o único estado onde a simulação será feita no próximo sábado (28). O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Ricardo Lewandowski, deverá acompanhar os testes no estado, encerrando, com isso, os treinamentos dos sistemas.
saiba mais
Eleitor terá que levar documento de identificação com foto para votar
Brasil pode ter todas as urnas biométricas em oito anos, diz Britto
Em cada zona eleitoral devem ser instaladas, no mínimo, três sessões para os testes. A eleição simulada contará com candidatos fictícios, com desenhos e fotos de animais no local da imagem dos candidatos. Os números e nomes utilizados na simulação também serão fictícios.
Segundo o TSE, o objetivo é fazer uma ensaio com todas as etapas que envolvem o processo, desde o cadastro eleitoral, a votação e totalização dos resultados. A novidade deste ano será a utilização de urnas com leitor biométrico, que permite o voto por meio de impressões digitais. Ao todo, 60 municípios em 23 estados testarão o novo equipamento neste sábado. O novo sistema, que deverá ser ampliado nas próximas eleições, tem como principais objetivos impedir um eleitor vote pelo outro.
Cerca de 1,1 milhão de eleitores utilizarão a urna biométrica para votar. Só em Canoas, no Rio Grande do Sul, a estimativa chega a 200 mil eleitores. Será a cidade em que mais pessoas vão testar o novo sistema nas eleições deste ano. A expectativa do TSE é de que a biometria seja implementada em todo o país até as eleições de 2018. Até lá, os gastos previstos para adequar o novo sistema estão estimados em R$ 450 milhões.
A eleição simulada vai contar com a participação de eleitores verdadeiros, que serão convidados pelos cartórios eleitorais a participar da simulação. Na eleição deste ano, além do título de eleitor, os votantes terão de apresentar um documento com foto para poder votar. A regra vale tanto para quem vai votar nas urnas eletrônicas tradicionais ou no novo sistema biométrico. O eleitor poderá apresentar os seguintes documentos: carteira de identidade, identidades funcionais, certificado de reservista, carteira de trabalho ou carteira nacional de habilitação.

Fonte: G1

Aug
25
2010
-

Bradesco usará biometria para aumentar segurança e reduzir custos

Biometria do BDN - Bradesco

Biometria do BDN - Bradesco

SÃO PAULO – O Bradesco já aposta em leitura da palma da mão para identificar e cadastrar de forma mais eficiente seus clientes. Para isto, criou a área de setor público do banco. Ao DCI, o diretor Renan Mascarenhas revelou que o banco fez um acordo com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para evitar que aposentados e pensionistas, que recebem seus benefícios pelo banco, se recadastrem por meio da burocracia. “Ao invés disto, a ‘prova de vida’ se dará por infravermelho.” O infravermelho identifica o desenho das veias da palma da mão, que não muda com a idade.
O Bradesco enviará ao INSS um arquivo que conterá a fotografia das veias de cada aposentado cadastrado. Hoje, o Bradesco é responsável pelo pagamento mensal de cerca de 5,7 milhões de pensionistas/beneficiários do INSS. “A tecnologia deve se estender a todos os bancos. Com isto cai o custo, pois o arquivo torna-se digital e não é preciso guardar papel”, argumentou.
Mascarenhas destaca que tanto o banco como o governo levam vantagens no processo. “A cada vez que o cliente passa pelo sistema, ele prova que está vivo. O INSS tem de fazer todo ano a prova de vida de 27 milhões de aposentados. São vários documentos para regravar a senha.”
Além disso, o novo diretor acredita em redução do tempo gasto em fila. “As pessoas poderão sacar o benefício fora do horário bancário, uma vez que se recadastram constantemente.”
De acordo com o executivo, a partir de dezembro o processo de biometria substitui a prova de vida. “A meta é implantar o sistema para todos os clientes. Todas as agências já possuem ao menos um terminal com a biometria.”
Ele ressaltou que em casos de acidentes, ou a perda das mão a prova de vida será feita no papel. “Nem gêmeos idênticos têm veias iguais. Por isso, não há probabilidade de fraudes.”
Questionado se a impressão digital não seria um recurso eficiente, Mascarenhas afirmou que “são raros, mas existem casos em que a digital muda à medida que a pessoa avança em anos”.
Nas operações tradicionais em caixas eletrônicos, a leitura da palma da mão dispensa as senhas com letras, mas ainda é preciso digitar a senha numérica. Segundo Mascarenhas, o banco faz testes para poder dispensar também o uso da senha numérica, com o que a usaria apenas a biometria.

Fonte: DCI

Written by AcessoP in: Segurança,Tecnologia |
Aug
25
2010
-

Simulação das eleições testa urnas e avalia positivamente

Simulação das eleições testa urnas

Simulação das eleições testa urnas

No último sábado (21), 26 TREs (Tribunais Regionais Eleitorais) realizaram eleições simuladas para testar todos os sistemas e programas que serão utilizados nas eleições gerais de outubro. Em 19 estados, eleitores previamente cadastrados simularam votos na urna com leitor biométrico. Na avaliação do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), os eventos foram um sucesso.
Com exceção do Mato Grosso, todos os demais estados e o Distrito Federal promoveram eleições simuladas, nas quais foram testados desde o cadastro dos eleitores, passando pelo ato de votar, até a totalização dos resultados. Os testes foram feitos nas sedes dos cartórios ou zonas eleitorais com a participação de servidores da Justiça Eleitoral e voluntários.
Em alguns estados, como no Ceará, também foram testados o voto em trânsito, para os cargos de presidente e vice-presidente, e a votação paralela. Este procedimento é uma espécie de auditoria de verificação das urnas eletrônicas, realizada no dia das eleições com a participação de representantes de partidos políticos, da Ordem dos Advogados do Brasil e do Ministério Público.
Em São Paulo, todas as 426 zonas eleitorais participaram das eleições simuladas. No Paraná, o evento foi promovido em 174 zonas. No Distrito Federal, todos os 21 cartórios eleitorais realizaram os testes. Em Tocantins, os eventos ocorreram em todos os municípios que são sedes de zonas eleitorais, totalizando 35 localidades.
Nos estados onde os eleitores puderam ensaiar a votação na urna com leitor biométrico foi avaliada a eficiência do sistema, uma novidade do processo eletrônico de votação. Os testes mostraram, porém, a necessidade de ajustes para corrigir inconsistências na geração dos softwares do leitor biométrico.
Também foi detectada a necessidade de intensificar o treinamento dos mesários especificamente em relação aos procedimentos de identificação digital. Cabe ressaltar ainda, que algumas atividades profissionais podem causar desgastes nas impressões digitais, tais como mineração, pesca, garimpo e construção civil. Entretanto nenhum eleitor deixará de votar em relação de dificuldade na leitura das digitais. Bastará que se identifique pela forma tradicional.
O objetivo do TSE com a realização das eleições simuladas foi justamente testar todos os programas e componentes do sistema eletrônico de votação brasileiro, a fim de identificar possíveis instabilidades nos softwares e fazer os ajustes devidos a tempo para que as eleições de outubro transcorram da melhor forma possível.

Fonte: R7

Aug
24
2010
-

A Dimep lança novo equipamento de controle de ponto

Printpoint II

Printpoint II

A Dimep apresenta o equipamento Printpoint II, o mais novo relógio da empresa, desenvolvido especialmente para atender à Portaria 1.510. Homologado pelo MTE, conforme cadastro nº 0003/Portaria 553/2010, o projeto teve início em 2009, logo após a publicação da Portaria. Devido a falta de definições e informações técnicas, o projeto precisou ser alterado algumas vezes e, em dezembro, após algumas versões de caixas, placas e firmwares, a ação foi finalizada para cumprir o prazo de 1 de fevereiro.
Sobre o Printpoint II – O Printpoint II é resultado de cinco meses de intenso desenvolvimento com o objetivo de atender à necessidade dos clientes com o menor impacto operacional e ótimo custo beneficio, visando ainda a facilidade operacional e a menor mão de obra operacional. Possui um sistema patenteado de impressão em papel térmico, no qual é possível imprimir mais de 7.500 tickets, o que equivale ao uso de uma única bobina para 150 funcionários por 12 dias . Além disso, um sistema de detecção de pouco papel informa o usuário da necessidade da troca, antes de acabar o papel no produto.
O sistema de guilhotina garante o corte correto dos tickets, evitando o enrosco de papel e ampliando a comodidade do usuário. Com plataforma 32 bits de última geração, o novo relógio possui interface ethernet de 100Mbps, opcional de mensagens de voz, conexão para pendrive e uma memória permanente de dados capaz de armazenar mais de 137 milhões de marcações. Sua versão biométrica utiliza-se de leitores óticos de alta qualidade, com identificação em menos de um segundo e capacidade de 1.000, 6.000 ou 10.000 digitais.
A recomendação para os clientes é que adquiram os relógios dentro do prazo máximo – 21 de agosto – para não correrem riscos de autuação pelo Fiscal do Trabalho.
Sobre a Portaria – a Portaria nº 1.510, de 21 de agosto de 2009, disciplina o registro eletrônico de ponto e a utilização do Sistema de Registro Eletrônico de Ponto (SREP) previsto no artigo 74, parágrafo 2º da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). De acordo com a norma, os fabricantes desses equipamentos são obrigados a seguir rigorosamente as especificações determinadas, como também submetê-los à homologação. O prazo para adequação do hardware é agosto de 2010.
O novo software previsto já é obrigatório desde 19 de novembro. Atenção: os programas, ao contrário do hardware, não estão sujeitos à homologação, bastando um documento de responsabilidade do próprio fabricante. Assim, é necessário muito cuidado na sua escolha no mercado.
A principal exigência da nova portaria é a impressão dos recibos que comprovem a entrada dos trabalhadores nas empresas, bem como a emissão, arquivo e disponibilidade de distintos relatórios.
Por outro lado, a portaria é contraditória em relação aos preceitos da sustentabilidade, pois terá grande impacto ambiental, devido ao consumo do papel necessário à impressão dos registros de ponto.
Sobre a DIMEP – Fundada há 74 anos, a DIMEP Sistemas evoluiu da fabricação de relógios de ponto para a condição de desenvolvedora de soluções tecnológicas altamente sofisticadas para os controles de ponto e acesso. Em 1997, obteve certificação pela ISO 9001. A DIMEP é líder no mercado brasileiro e exporta para diversos países da América, Europa e África, além de manter filiais em Portugal, México e Estados Unidos.
Cada vez mais consciente de sua responsabilidade social, a DIMEP tem se empenhado em ampliar sua participação em iniciativas como a Campanha “Todos pela Educação”, que une governos, empresas e entidades do terceiro setor na busca de soluções para os problemas educacionais do País.

Fonte: Contabilidade na TV

Template: TheBuckmaker.com Wordpress Themes | Greengeeks Panel, Urlaub Alpen