Feb
27
2011
-

Biometria controla frequência de alunos em escola da Praia Grande

Leitor Biometrico

Leitor Biometrico

Controlar a presença e a frequência de alunos é uma realidade comum e antiga em qualquer escola, sempre realizada através das listas de chamada em papel. Mas, visando mais segurança, as tecnologias vêm sofisticando cada vez mais as formas de monitoramento de acesso dos estudantes.

Alunos do 1º ao 5º ano da Escola Municipal Roberto Mário Santini da cidade de Praia Grande, litoral de São Paulo, por exemplo, utilizam – desde maio deste ano – um sistema de frequência digital da Madis Rodbel – uma das principais empresas fabricantes de relógio de ponto e controle de acesso do País.

O mecanismo é de um coletor de dados biométricos – o MD 5705 da Madis Rodbel. O aparelho registra a presença do estudante, por meio da leitura biométrica do dedo indicador. De acordo com o chefe da Coordenadoria de Programas de Inclusão Digital da cidade, Marcos Pastorello, “o sistema envia aos pais, diariamente, um e-mail informando o horário exato que o aluno entrou e saiu da sala de aula da escola”. Pastorello complementa que “a partir de agosto deste ano, os pais também começaram a receber esses avisos por meio de mensagens de texto via celular, em caso de ausência do filho”.

Os principais benefícios do projeto são os controles: de diário de classe, de merendas, evasão escolar, acompanhamento do programa Bolsa Família (que se baseia na frequência dos alunos para manter o benefício) e envio de e-mail e SMS para os responsáveis pelos estudantes. O desperdício de alimentos (merenda) é evitado por meio de um computador. A cozinha da instituição recebe em tempo real o número exato de alunos que estão na escola para fazer a quantidade ideal de comida.

De acordo com o vice-presidente da Madis Rodbel, Rodrigo Pimenta, esse é o primeiro projeto da empresa voltado para controle de frequência em uma instituição de ensino. “Estamos experimentando e como projeto-piloto já percebemos ótima aceitação da escola, dos pais e dos próprios alunos. O objetivo é que o sistema digital elimine de vez a lista de presença e aumente a segurança e controle das crianças na rotina casa-escola e vice-versa”, afirma Pimenta.

O MD 5705 da Madis Rodbel tem capacidade para 500 usuários comunicação TCP/IP em real time, utilizando sistema RBAcesso SQL integrado com software desenvolvido pela Coordenadoria de Programas de Inclusão Digital da Secretaria de Educação – Prefeitura Municipal da Praia Grande.

Na Escola Municipal Roberto Mário Santini foram instalados 14 leitores biométricos, já que a instituição possui 14 salas de aula. Atualmente, o sistema está atendendo cerca de 600 alunos nessa unidade escolar.

Segundo a Coordenadoria de Programas de Inclusão Digital da Secretaria de Educação, o sistema pretende incluir também as notas e outras informações sobre o desempenho do estudante, que serão enviados diretamente para os e-mails dos professores. Além disso, a Secretaria de Educação adquiriu 48 novos equipamentos para serem instalados em 5 novas escolas em 2011, contemplando 3100 alunos, perfazendo um total de 3700.

Fonte: Minha Notícia

Jan
27
2011
-

Biometria no Controle de acesso físico

Fechadura Biométrica D-LOCK DL1500 com capacidade para até 100 digitais

Fechadura Biométrica D-LOCK DL1500 com capacidade para até 100 digitais

Controle de acesso físico é o tipo de aplicação onde o acesso a um espaço físico ou uma propriedade como uma área, prédio, sala, container, armário, carro, casa, garagem, cofre, etc é controlado e somente pessoas autorizadas são permitidas nesses locais.
Normalmente esse acesso é assegurado via um token, uma chave ou cartão, mas os tokens estão muito aquém da necessidade de pessoas e empresas, pois não fornecem atributos básicos como segurança, conveniência, não-repúdio.
A biometria pode verificar ou identificar indivíduos entrando ou saindo de uma área, num determinado momento e complementar ou substitui completamente chaves, senhas, cartões ou outros tipos de tokens.
A biometria oferece segurança, pois não pode ser roubada como uma chave ou um cartão; oferece conveniência, pois não pode ser perdida e oferecia não-repúdio pois coloca a pessoa efetivamente onde sua biometria foi utilizada.
Nas escolas o controle de acesso biométrico permite o acesso somente a pessoal autorizado, pais e alunos, além de registrar todos os acesso para futura verificação em caso de problemas. Nos estádios a venda de ingresso condicionado ao cadastro biométrico elimina o problema com atravessadores e permite aos estádios barrarem arruaceiros baseado em uma lista negra. Locais como usinas nucleares, armazéns de armas, bancos, instalações militares e companhias em geral preocupadas com sua segurança recentemente veem implantando controle de acesso com biometria.
Independente do nível de segurança exigido, não existe ambiente onde o controle de acesso biométrico não pode ser utilizado e com os custos decrescentes o potencial de substituir sistemas legados e de implantação em novos ambientes é enorme.
É importante levar em conta na hora da aquisição, a quantidade de pessoas que irá utilizar o sistema. Equipamentos para o uso pessoal ou para uma familia, como uma fechadura eletrônica, podem ser mais simples enquanto os equipamentos para uso em empresas deve ser robustos, fáceis de usar e ter boa acurácia, além de suportar o cadastro de centenas e até milhares de pessoas.

O Terminal de controle de acesso Virdi AC6000, pode ser usado no modo online e offline

O Terminal de controle de acesso Virdi AC6000, pode ser usado no modo online e offline

Os controles de acesso biométricos podem também ser classificados quanto a sua conectividade como stand-alone e em rede. Os sistemas stand-alone por não possuirem integração são interessantes para aplicações de baixo custo com 1 ou poucos terminais de acesso. Quando o sistema de acesso envolve muitos terminais biométricos, a ligação em rede a um servidor central é muito importante pois permite o cadastro, administração e auditoria centralizada, além da integração com os sistemas de segurança e TI da empresa.
A integração entre o controle de acesso físico e o controle de acesso lógico é uma evolução desses sistemas e já está começando a acontecer. A possibilidade de efetuar o cadastro e gerenciamento biométrico centralizado para uso nos dois sistemas (físico e lógico) se traduz em redução de custos, aumento na segurança e comodidade para os usuários.
Na implantação de um sistema biométrico de controle de acesso, é preciso estar atento a alguns parâmetros chave. Numa empresa normalmente todas as pessoas tem o mesmo horário de trabalho então é possível que o sistema tenha que processar um grande fluxo de pessoas em um intervalo de tempo pequeno. Outro fator importante é a existência de uma alternativa para a biometria para os casos de não reconhecimento.

Fonte: Fórum Biometria

Jan
04
2011
-

Biometria – Você é a Chave

Tipos de Biometria

Tipos de Biometria

Biometria é o estudo das características físicas e comportamentais dos seres vivos. A Biometria têm sido bastante estudada nas últimas décadas para garantir segurança no meio digital. Algumas características biométricas dos seres vivos tendem a serem únicas a cada indivíduo, ou no mínimo a probabilidade de se encontrar um individuo idêntico é bastante remota.

Hoje a biometria é utilizada desde identificação criminal, até o controle de acessos a sistemas e locais.
Um
sistema Biométrico em geral funciona da seguinte maneira:

1º passo: É feito um procedimento para coleta das características de cada individuo de acordo com o tipo de sistema Biométrico pré-estabelecido pela empresa.
2º Passo: Um software com algorítimo matemático irá mapear os principais pontos da característica extraída. Após a análise do software será gerado um “Template” com as características individuais do indivíduo que estará relacionado a sua identificação. Esse Template será armazenado no banco de dados do sistema.
3º Passo: A verificação da identidade do indivíduo será feita através da extração de uma nova amostra da característica e a comparação com o Template já pré-armazenado no sistema.

Durante o processo para adoção de um sistema Biométrico por uma empresa, vários fatores são levados em consideração. Dentre a eles a Confiabilidade, a possibilidade da característica adotada variar com o tempo, a possibilidade da característica adotada variar com as condições de saúde ou mesmo condições emocionais, é preciso considerar também se a técnica é invasiva ou não, dentre outros fatores. Os principais padrões biométricos adotados hoje em dia são:

Biometria Digital

Biometria Digital

Impressão Digital: Por volta do 6º mês de gestação as impressões digitais se formam na ponta dos dedos do feto. Essas linhas formadas pela elevação da pele irão acompanhar a pessoa por toda a sua existência sem apresentar grandes mudanças. É um método utilizado a mais de mil anos. Apesar de ser um método bastante utilizado, estima-se que entre 5 e 10% da população mundial não possui impressão digital com um nível de amostragem suficiente para gerar um cadastramento.


Biometria Facial

Biometria Facial

Reconhecimento Facial: Identificar um indivíduo através da análise da face é um processo complexo. A idéia está em utilizar um programa que mapeia a geometria e as proporções da face. Pontos como a distância entre os olhos, distância entre boca nariz e olhos, distância entre os olhos e o queixo, entre outros, são examinados de modo a extrair uma combinação única para identificar o indivíduo. Uma de sua falhas consiste no fato de que diferentes angulações da posição do rosto em relação a câmera podem gerar uma discordância na comparação do software.


Biometria da Íiris

Biometria da Íiris

Identificação da Íris: Entre o 7º e o 8º mês de gestação se forma o tecido que reveste a íris. Até mesmo gêmeos idênticos possuem características próprias da íris. Com um tamanho de cerca de 11mm a íris proporciona por volta de 266 pontos únicos de identificação, e como a íris está protegida atrás da córnea a probabilidade de danos ao tecido é mínima. A probabilidade de haver dois individuos com íris semelhantes é de 1 em 2,9 bilhões. Sua desvantagem é que é considerada uma técnica invasiva uma vez que a comparação é feita através de um feixe de laser que incide direto nos olhos do indivíduo.

Biometria - Reconhecimento da Voz

Biometria - Reconhecimento da Voz

Reconhecimento da Voz: O reconhecimento da voz funciona através da dicção de uma frase que funciona como senha. O som da voz humana é causado pela ressonância e comprimento das cordas vocais, o formato da boca e as cavidades nasais. Quando se fala cria-se vibrações no ar. O conversor analógico-digital traduz essas vibrações em sinais digitais. O sistema ainda filtra o som para remover ruídos indesejados. Como desvantagem esta técnica pode-se destacar o fato da pessoa adquiria algum tipo de doença que afete o timbre da voz, por exemplo um resfriado, ainda existe o caso de pessoas com timbres de voz parecidos serem confundidas pelo equipamento.


Biometria da Retina

Biometria da Retina


Identificação da retina: A retina, parede do fundo do olho, possui características ímpares formadas por um
conjunto de vasos sanguíneos que criam um desenhomuito parecido com mapas hidrográficos. O padrão de vasos sanguíneos da retina é a característica com maior garantia de singularidade que uma pessoa pode possuir. O processo consiste em mapear a posição das veias sanguíneas. Infelizmente pesquisas médicas mostram que algumas doenças podem com o tempo modificar as características da retina.


Fonte: Papo Nerd

Dec
06
2010
-

Estádios brasileiros terão “Big Brother” para conter baderneiros

Catraca Eletrônica a ser utilizado na Copa 2014

Catraca Eletrônica a ser utilizado na Copa 2014

A presença de baderneiros e cambistas nos estádios brasileiros tem tudo para ter vida curta nos próximos anos. É esse o grande serviço prestado por um sistema de monitoramento que já irá operar no Pacaembu e no Engenhão a partir de janeiro de 2011 e que pretende usar a tecnologia a favor da segurança. O produto, exposto na Soccerex Global Convention, feira de negócios de futebol realizada esta semana no Rio de Janeiro, é o que há de mais moderno para coibir atos ilegais.

Essa espécie de Big Brother funciona da seguinte forma: para adquirir ingressos, o torcedor precisará ter um cartão magnético onde será carregada a entrada ao estádio. Instranferível, a peça irá conter dados como o CPF do comprador, que precisará do cartão para acessar o estádio.
Ao se aproximar do local de acesso ao estádio, o torcedor estará sendo filmado com uma
câmera de alta definição acoplada à catraca. Essa imagem será atrelada ao cadastro, já que ele precisará do cartão magnético para passar na roleta. Leitores de biometria, que identificam pontos específicos do rosto da pessoa, ajudarão a detectar aquele que emprestar seu cartão a alguém, o que é terminantemente proibido. Em uma nova tentativa, o torcedor pode ser barrado.
“O objetivo é monitorar tudo o que está acontecendo e aí fazer com que o torcedor se sinta supervisionado. As imagens serão armazenadas e ficarão disponíveis para as autoridades. A partir do momento que começa a ter mais dados, você tem total controle sobre os torcedores”, explica Alexandre Mori, diretor da Axis, empresa que desenvolveu o produto em conjunto com a BWA.
Para que a ida ao estádio deixe de ser um sacrifício
Outra facilidade é que o fato de ter o cartão magnético irá condicionar o torcedor a comprar seu ingresso longe das apertadas bilheterias. Com ele, será possível adquirir a entrada ao estádio pela internet e em casas lotéricas, por exemplo, o que inibe a ação de cambistas.
Já se negocia para um futuro próximo outro avanço significativo: em vez de cartão magnético, o torcedor poderá fazer uso de seu próprio telefone celular. Após inserir um mecanismo no chip de seu aparelho, será possível comprar o ingresso por intermédio de uma ligação e acessar o estádio com o celular. A BWA informa que conversa com operadoras de telefonia para colocar isso em prática já em 2011.
Por ora, alguns setores do Engenhão e do Pacaembu receberão as catracas com câmeras de alta definição já no início do próximo ano. De forma gradual, todo o acesso aos dois estádios será absorvido por essa tecnologia de ponta, o que promete ser um soco no estômago de cambistas e baderneiros.
A BWA diz administrar 84% dos estádios do País e pretende levar esse recurso adiante. Para a Copa de 2014, já foi assegurado que o Castelão, em Fortaleza, fará uso do Big Brother a serviço do futebol.

Fonte: Terra

Oct
21
2009
-

Leitor Biométrico para portas

Leitor Biométrico NT 4x2Leitor Biométrico NT 4×2

A Almitec lança uma solução para controle de acesso à portas com utilização de leitor biométrico embutido na parede. O Leitor Biométrico NT 4×2, permite o controle de acesso em tempo real (on-line), transmitindo, através de protocolo TCP-IP, as informações da digital do usuário para um servidor fazer a validação da mesma. Possui verificação de porta aberta, interagindo com o software através de protocolo UDP. Informa ao usuário o aceite ou não da tentativa de leitura através de LED´s indicativos.

Mais informações no site da Almitec ou no link do Leitor Biométrico NT 4×2.

Jun
18
2009
-

O que é RFID?

Etiqueta Eletrônica RFID

Etiqueta Eletrônica RFID

Vamos falar de RFID, que vem do Radio Frequency Identication, significa Identificação por Rádio Frequência. Basicamente é um sistema que utiliza a transmissão de ondas de rádio para realizar comunicação de um dispositivo que contenha informações para realizar liberações de acesso ou leitura de dados deste dispositivos.
É amplamente utilizado nas sistemas de controle de acesso de pedestres, acesso de veículos, sistemas de transportes (bilhete único), rastreamento de animais, área de logística e informações de preço (etiqueta eletrônica).
Continue lendo sobre RFID…

Template: TheBuckmaker.com Wordpress Themes | Greengeeks Panel, Urlaub Alpen