Nov
01
2010
-

DETRAN IMPLANTA NOVO SISTEMA DE BIOMETRIA

Leitor Biométrico

Leitor Biométrico

Em obediência à Resolução 287 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e à Portaria 101/08 do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), a partir do dia 28 de outubro de 2010, as pessoas que quiserem tirar a 1ª habilitação deverão se dirigir àquela autarquia e não mais às clínicas médicas credenciadas.

O Detran está implantando um novo sistema de biometria, que consiste na captura e coleta de imagem, assinatura e digitais dos candidatos à 1ª Carteira de Habilitação. Portanto, os interessados, deverão procurar a sala de habilitação na Delegacia de Acidentes de Trânsito (DAT), no próprio prédio do Detran para realizarem esse cadastro.

Posteriormente, eles deverão se dirigir a um Centro de Formação de Condutores (CFC), para matrícula e abertura de processo. E deverão ser encaminhados a uma clínica Médica e Psicológica, escolhida pelo sistema. O restante do processo é o mesmo. O candidato fará os exames médicos e psicológicos, e as aulas teóricas e práticas.

Após 6 meses da implantação do novo sistema, os processos de adição, mudança de categoria e renovação de CNH também serão realizados no mesmo setor. Mas vale ressaltar, que nesse primeiro momento, somente os processos para aquisição da 1ª habilitação é que terão alterações.

Essas mudanças são para atender melhor a população, dar mais segurança e agilidade aos processos de aquisição de CNH, e obedecer as normas exigidas pelo Conselho Nacional de Trânsito, explica Jorge Everton, diretor presidente do Detran.

Fonte: Jusbrasil

Oct
18
2010
-

Biometria no Auto-atendimento

Módulo fingerprint

Módulo fingerprint

O tema não é novo, pois já temos pelo menos 2 gerações de dispositivos biométricos sendo utilizados em ATMs aqui no Brasil. São os seguintes readers: fingerprint, fingervein e palmvein. Vou falar um pouco sobre cada um deles.

FingerPrint Reader
Se possível fosse, o fingerprint reader seria o avó dos dispositivos biométricos, em uso em larga escala no Auto-atendimento. Equipando desde notebooks, catracas eletrônicas e demais pontos de controle de acesso, e até ATMs, esse dispositivo consiste de uma pequena área um pouco maior que uma moeda, onde você pressiona seu dedo (normalmente o polegar), para a leitura eletrônica de sua impressão digital (fingerprint). Magnífico! Afinal de contas, há tempos impressões digitais tem sido utilizadas como meio de identificação única dos indivíduos. É muito mais confiável do que a rubrica! Além disso, como se trata de tecnologia já largamente disseminada, fingerprint readers são relativamente baratos.

Leitor biométrico fingervein

Leitor biométrico fingervein

Se é tão perfeito, porque esse dispositivo não é a primeira escolha quando se pensa em dispositivo de segurança para o Auto-atendimento? Simples, assim como todo o tipo de regra foi feita para ser quebrada, todo novo dispositivo de segurança está fadado a ter sua segurança burlada.
Fato é que impressões digitais são clonáveis. Isso é fácil, já foi feito várias vezes (a primeira vez foi hás uns 15 anos atrás), e esse é o principal ponto negativo da segurança baseada em fingerprint. Além disso, existe um problema mais simples relacionado ao uso desse dispositivo: o toque! Você já viu o estado em que fica um ATM após 1 ano de operação em um grande centro urbano? Pois é, a sujeira toma conta de todas as áreas externas do equipamento, mas principalmente aquelas que são efetivamente tocadas pelas pessoas, como por exemplo o teclado. É fácil de entender, as pessoas suam, algumas não se preocupam tanto com a higiene e o que temos no final é um fingerprint reader que não lê mais nada. Além disso, colocar o dedo em um lugar onde centenas de pessoas já colocaram é realmente invasivo , e por isso essa tecnologia tem uma grande rejeição do publico de Auto-atendimento em geral.
Com tudo isso, o fingerprint tem sido mais utilizado em ambientes e situações mais controlados. Exemplos de sucesso são: controle de acesso para utilização interna aos estabelecimentos, controle de acesso a computadores pessoais e dispositivos de armazenamento.

FingerVein Reader

Biometria por padrões de veia

Biometria por padrões de veia

Depois que a segurança do fingerprint foi quebrada, a indústria se mexeu em busca de uma tecnologia mais confiável. Criado pela empresa japonesa Hitachi, a solução fingervein resolveu com folga todos os problemas envolvidos na tecnologia baseada em fingerprint, com a vantagem de que a solução é mecanicamente e operacionalmente equivalente a solução baseada em fingerprint, ou seja, para olhos leigos, os dois leitores são muito parecidos (depois de montados em suas bases finais):

Mas as semelhanças param por aí. A tecnologia envolvida no fingervein é conhecida como Vein Pattern, que é Padrão de Veias. Nessa tecnologia, a identificação única é alcançada ao se ler o padrão no qual as veias estão dispostas dentro do dedo da pessoa. Esse padrão de disposição das veias é diferente entre os dedos da mesma pessoa, e também é diferente entre gêmeos idênticos, e imutável ao longo da vida adulta, de modo que é uma maneira bastante confiável de se identificar únicamente a pessoa.

A leitura é realizada através de um método relativamente simples: utilizando-se de diodos um infra-red é emitido junto ao dedo. A luz que penetra o dedo é absorvida pela sangue, e portanto não reflete ou transpassa o dedo, de modo então que uma câmera especializada receberá a luz refletida, com uma série de emaranhados de área mais escura, relativas às veias no interior do dedo, e assim um padrão é criado, com base nessa “configuração” emaranhada de veias:

Funcionamento biometria da veia

Funcionamento biometria da veia

Tudo isso ocorre sem o contato com o leitor. Na verdade o dedo fica apoiado em um gabarito mínimo, de modo que aqueles problemas de invasividade e alta taxa de manutenção são sensivelmente reduzidos.
Show de bola! E tem algum problema? Se tem, ainda não passa de conceito. Ocorre que, pegar, digamos, um dedo separado do corpo humano e tentar uma autenticação válida não funciona (ainda bem!). Porém, em teoria, seria possível ler a configuração de veias do dedo, e reproduzi-las em um dispositivo como um finger dummy, e daí inserir algum tipo de líquido circulante, ou mesmo sangue de algum animal para conseguir uma leitura válida. Bem, tudo isso parece improvável demais, de modo que a tecnologia baseada em Vein Pattern deve permanecer por mais alguns bons anos.

PalmVein Reader

Biometria da palma da mão

Biometria da palma da mão

É baseada na mesma tecnologia do FingerVein, ou seja, a Vein Pattern. De fato, as duas são soluções concorrentes, de empresas japonesas. O palmvein é da Fujitsu, conhecido fabricante de ATMs (e de muitas outras coisas). A diferença óbvia nesse caso, é que ao invés de ler as veias do dedo, o que se lê são as veias da mão:
Uma importante diferença desse sistema em relação ao fingervein, é que para integrar o leitor, ocupa-se muito mais espaço. No entanto, no que concerne ao Auto-atendimento, isso não chega a ser um problema:

Em função da área para leitura e geração do padrão de veias, o sistema PalmVein é ainda mais preciso do que o FingerVein.

Comparando os sistemas

Leitor Biométrico de veias da palma da mão

Leitor Biométrico de veias da palma da mão

Além desses sistemas de identificação biometrica, existem vários outros, cada um com suas vantagens e desvantagens, o que acaba determinando onde essas tecnologias são mais adequadas para uso:
A precisão (Accuracy, na tabela), é uma das principais características a ser observada quando se pensa em aplicar uma dessas tecnologias de identificação biometrica. Por exemplo, as tecnologias baseadas em Vein Pattern tem uma precisão de 0,0001% (fingervein) e 0,00008% (palmvein) de gerar uma autenticação falsa, ou seja, a chance de você conseguir uma autenticação válida quando o sistema espera receber o padrão de veias de outra pessoa é 1 em 1 milhão (fingervein) e menos que isso (palmvein). Ou seja, é bom, mas não é perfeito.

Tabela de comparação de leitores de biometria

Tabela de comparação de leitores de biometria

E é por não serem perfeitos que, para as aplicações em Auto-atendimento, os dispositivos biometricos têm servido como auxiliares à identificação dos clientes. Normalmente são utilizando em conjunto com a identificação da conta do cliente, e sua senha. Isso resulta em uma combinação bastante segura.

Como é no Brasil
Um grande banco brasileiro já testou os 3 sistemas, e há cerca de 2 anos escolheu o PalmVein como seu sistema de identificação biometrica. Em suas aplicações, essa tecnologia é utilizada em adicional aos demais sistemas de identificação de seus clientes, como a identificação da conta e a senha.
Dado a boa aceitação do publico, é muito provável que esses sistemas se tornem cada vez mais comum nos bancos aqui no Brasil, principalmente em substituição a outros mecanismos de identificação como o Token, por exemplo.
Também será cada vez mais comum encontrar esses sistemas em: controles de acesso, computadores pessoais, sistemas de armazenamento e etc.

Fonte: Fagner Souza

Sep
01
2010
-

Biometria: 3M adquire Cogent por US$ 943 mi

Cogent terminal com leitor biométrico

Cogent terminal com leitor biométrico

A 3M, fabricante de produtos como fita adesiva e Post-It, até itens para navegação e mineração, anuncia um acordo para comprar a Cogent, empresa especializada em sistemas de identificação automática, com foco em biometria, por US$ 943 milhões.
Com a aquisição, a 3M ampliará seus negócios no ramo da segurança, onde já fabrica produtos como leitores de passaportes e vistos.
Através de um comunicado, a 3M detalhou que o acordo feito com a Cogent estabelece o pagamento de US$ 10,5 por ação da empresa. Com a compra, a meta é se fortalecer no mercado de sistemas de identificação biométricos, que segundo pesquisas deve crescer a uma taxa anual superior a 20%.
A Cogent, que tem sede na Califórnia e cerca de 500 colaboradores, oferece sistemas de leitura de impressões digitais, íris, rosto e palma das mãos. O conselho de administração da empresa já recomendou aos acionistas que aceitem a oferta.
O fundador da companhia, Ming Hsieh, pôs suas ações à disposição.
Se a maioria dos acionistas aceitar a oferta, a venda pode ser concretizada no quarto trimestre deste ano.

Fonte: Baguete

Aug
26
2010
-

Em testes, urnas biométricas aumentam tempo de votação para cinco minutos

Urna Biométrica

Urna Biométrica

Os Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) se depararam com problemas nas urnas biométricas em pelo menos sete estados do país durante a simulação das eleições realizada no fim de semana na maior parte do território nacional. A dificuldade, verificada na identificação da impressão digital de eleitores, aumentou a média de tempo de votação para cinco minutos.
Em Balsa Nova, no Paraná, só um dos 14 eleitores que participaram do teste teve a digital identificada na primeira tentativa. Seis pessoas conseguiram votar depois de algumas investidas com o leitor biométrico e outras sete não foram reconhecidas pelo sistema. Em outros estados, existem relatos de que a dificuldade se deu por inexperiência dos mesários, que não posicionaram corretamente o dedo do eleitor.
De acordo com o secretário de Tecnologia da Informação do TSE, Giuseppe Janino, o “não conhecimento” dos eleitores atingiu o índice de 40% em todo o país. “Investigamos a causa e descobrimos que o leitor comparava a impressão digital com o dedo errado. O problema ocorreu na geração dos arquivos, mas já foi resolvido”, explicou. Segundo ele, não haverá risco de falhas no dia das eleições. “O simulado serve para isso, para corrigirmos as não conformidades.”
Em 2008, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) utilizou pela primeira vez a urna biométrica, equipamento que processa o voto a partir da identificação da impressão digital do eleitor. A inovação foi experimentada com sucesso em três cidades: Colorado do Oeste (RO), Fátima do Sul (MS) e São João Batista (SC). Agora, em 2010, serão 65 municípios, de 24 estados, com votação totalmente biométrica. Para isso, mais de um milhão de eleitores foram previamente cadastrados pela Justiça Eleitoral, que colheu as digitais de quatro dedos de cada eleitor (os polegares e os indicadores). A ideia do TSE é que até 2018 o Brasil tenha a eleição 100% biométrica.
A inovação tenta dificultar fraudes, já que para votar o eleitor terá de fazer o reconhecimento digital. Com o novo sistema, as eleições devem ganhar mais agilidade. O sistema também diminui o número de mesários nas votações. Caso o mesário tenha dúvidas com relação ao eleitor ou a digital não seja reconhecida pelo leitor biométrico, há a opção de se fazer a verificação a partir da foto impressa na folha de votação. A votação biométrica, no entanto, não elimina a necessidade de o eleitor portar um documento de identidade e o título de eleitoral no dia do pleito.

Fonte: Correio Braziliense
Por: Diego Abreu

Aug
25
2010
-

Tribunais regionais testam sistema eleitoral neste sábado

Simulação de Votação

Simulação de Votação

Tribunais regionais eleitorais (TREs) de 25 estados e do Distrito Federal realizam neste sábado (21) uma eleição simulada com o objetivo de testar os sistemas e programas que serão utilizados nas eleições de outubro. As simulações foram determinadas pelo próprio TSE, a fim de corrigir eventuais equívocos que possam haver no sistema antes da realização do pleito.
O processo será realizado em todos os cartórios e zonas eleitorais dos estados participantes. O Rio Grande do Norte é o único estado onde a simulação será feita no próximo sábado (28). O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Ricardo Lewandowski, deverá acompanhar os testes no estado, encerrando, com isso, os treinamentos dos sistemas.
saiba mais
Eleitor terá que levar documento de identificação com foto para votar
Brasil pode ter todas as urnas biométricas em oito anos, diz Britto
Em cada zona eleitoral devem ser instaladas, no mínimo, três sessões para os testes. A eleição simulada contará com candidatos fictícios, com desenhos e fotos de animais no local da imagem dos candidatos. Os números e nomes utilizados na simulação também serão fictícios.
Segundo o TSE, o objetivo é fazer uma ensaio com todas as etapas que envolvem o processo, desde o cadastro eleitoral, a votação e totalização dos resultados. A novidade deste ano será a utilização de urnas com leitor biométrico, que permite o voto por meio de impressões digitais. Ao todo, 60 municípios em 23 estados testarão o novo equipamento neste sábado. O novo sistema, que deverá ser ampliado nas próximas eleições, tem como principais objetivos impedir um eleitor vote pelo outro.
Cerca de 1,1 milhão de eleitores utilizarão a urna biométrica para votar. Só em Canoas, no Rio Grande do Sul, a estimativa chega a 200 mil eleitores. Será a cidade em que mais pessoas vão testar o novo sistema nas eleições deste ano. A expectativa do TSE é de que a biometria seja implementada em todo o país até as eleições de 2018. Até lá, os gastos previstos para adequar o novo sistema estão estimados em R$ 450 milhões.
A eleição simulada vai contar com a participação de eleitores verdadeiros, que serão convidados pelos cartórios eleitorais a participar da simulação. Na eleição deste ano, além do título de eleitor, os votantes terão de apresentar um documento com foto para poder votar. A regra vale tanto para quem vai votar nas urnas eletrônicas tradicionais ou no novo sistema biométrico. O eleitor poderá apresentar os seguintes documentos: carteira de identidade, identidades funcionais, certificado de reservista, carteira de trabalho ou carteira nacional de habilitação.

Fonte: G1

Aug
25
2010
-

Simulação das eleições testa urnas e avalia positivamente

Simulação das eleições testa urnas

Simulação das eleições testa urnas

No último sábado (21), 26 TREs (Tribunais Regionais Eleitorais) realizaram eleições simuladas para testar todos os sistemas e programas que serão utilizados nas eleições gerais de outubro. Em 19 estados, eleitores previamente cadastrados simularam votos na urna com leitor biométrico. Na avaliação do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), os eventos foram um sucesso.
Com exceção do Mato Grosso, todos os demais estados e o Distrito Federal promoveram eleições simuladas, nas quais foram testados desde o cadastro dos eleitores, passando pelo ato de votar, até a totalização dos resultados. Os testes foram feitos nas sedes dos cartórios ou zonas eleitorais com a participação de servidores da Justiça Eleitoral e voluntários.
Em alguns estados, como no Ceará, também foram testados o voto em trânsito, para os cargos de presidente e vice-presidente, e a votação paralela. Este procedimento é uma espécie de auditoria de verificação das urnas eletrônicas, realizada no dia das eleições com a participação de representantes de partidos políticos, da Ordem dos Advogados do Brasil e do Ministério Público.
Em São Paulo, todas as 426 zonas eleitorais participaram das eleições simuladas. No Paraná, o evento foi promovido em 174 zonas. No Distrito Federal, todos os 21 cartórios eleitorais realizaram os testes. Em Tocantins, os eventos ocorreram em todos os municípios que são sedes de zonas eleitorais, totalizando 35 localidades.
Nos estados onde os eleitores puderam ensaiar a votação na urna com leitor biométrico foi avaliada a eficiência do sistema, uma novidade do processo eletrônico de votação. Os testes mostraram, porém, a necessidade de ajustes para corrigir inconsistências na geração dos softwares do leitor biométrico.
Também foi detectada a necessidade de intensificar o treinamento dos mesários especificamente em relação aos procedimentos de identificação digital. Cabe ressaltar ainda, que algumas atividades profissionais podem causar desgastes nas impressões digitais, tais como mineração, pesca, garimpo e construção civil. Entretanto nenhum eleitor deixará de votar em relação de dificuldade na leitura das digitais. Bastará que se identifique pela forma tradicional.
O objetivo do TSE com a realização das eleições simuladas foi justamente testar todos os programas e componentes do sistema eletrônico de votação brasileiro, a fim de identificar possíveis instabilidades nos softwares e fazer os ajustes devidos a tempo para que as eleições de outubro transcorram da melhor forma possível.

Fonte: R7

Oct
21
2009
-

Leitor Biométrico para portas

Leitor Biométrico NT 4x2Leitor Biométrico NT 4×2

A Almitec lança uma solução para controle de acesso à portas com utilização de leitor biométrico embutido na parede. O Leitor Biométrico NT 4×2, permite o controle de acesso em tempo real (on-line), transmitindo, através de protocolo TCP-IP, as informações da digital do usuário para um servidor fazer a validação da mesma. Possui verificação de porta aberta, interagindo com o software através de protocolo UDP. Informa ao usuário o aceite ou não da tentativa de leitura através de LED´s indicativos.

Mais informações no site da Almitec ou no link do Leitor Biométrico NT 4×2.

Sep
01
2009
-

Bradesco cadastra 1 mi para biometria

Biometria utilizado pelo Bradesco

Biometria utilizado pelo Bradesco

O Bradesco acaba de superar a marca de um milhão de clientes cadastrados no sistema de Biometria.
A tecnologia foi implementada em 2007 nos equipamentos de autoatendimento e utiliza a leitura das veias da palma da mão do cliente como senha adicional.
Continue lendo sobre o Biometria no Bradesco

Aug
27
2009
-

TSE autoriza cadastramento biométrico de 4 milhões de eleitores

Cadastramento em urna biométrica.

Cadastramento em urna biométrica.

Durante a sessão administrativa de terça-feira (26) os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovaram uma proposta do Grupo de Trabalho de Identificação Biométrica que pretende cadastrar cerca de 4 milhões de eleitores em todo o Brasil por meio da biometria. A expectativa é alcançar 3% do eleitorado de cada unidade da Federação.
biometria, aplicada à votação, permite que os eleitores sejam identificados por suas impressões digitais …
Continue lendo sobre o cadastramento biométrico de eleitores.

Apr
24
2009
-

Leitor Biométrico de Impressão Digital

Leitor Biométrico de Impressão Digital

Leitor Biométrico de Impressão Digital

Biometria de impressão digital chegou para ficar! Atualmente este é o consenso entre o mercado de controle de acesso. As empresas a cada dia se esforçam para se atualizarem seus hardwares de tal maneira que permitam realizar marcações de ponto, liberar catracas e portas ou simplesmente fazer logon em seu microcomputador.
Continue lendo sobre Leitor Biométrico de Impressão Digital…

Template: TheBuckmaker.com Wordpress Themes | Greengeeks Panel, Urlaub Alpen